Reflexão nº 19 – “Nosso pálido ponto azul”

palido-ponto-azul-carl-sagan-imagem-voyager

(…) nossa pretensa importância, a ilusão de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, em meio a toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos, Pálido Ponto Azul, Carl Sagan

No livro “Pálido Ponto Azul” (1994), o ex-cientista Carl Sagan nos coloca diante da nossa “irrelevância” em termos universais e mata qualquer grau de soberba que possa habitar em nós. Mas, ao mesmo tempo em que nos coloca no devido patamar de humildade, a narrativa nos faz pensar sobre o “milagre” da vida na Terra (Ainda não terminei o livro, mas essas são as impressões até o momento).

Somos uma exceção dentro de um vasto universo. A vida em nosso planeta só foi possível graças a uma série de acontecimentos que se sucederam desde o Big Bang. Nossa existência só é possível porque as leis da natureza são exatamente como são.

Penso sobre cada um dos indivíduos que passaram, estão passando e irão passar por aqui. A vida de cada um de nós também é um verdadeiro “milagre” que começou mesmo antes que sonhássemos estar por aqui. Cada um de nós está aqui por conta de uma série de fatos que permitiu seu nascimento e desenvolvimento. Difícil acreditar que seja tudo fruto de um mero acaso, que não haja um equilíbrio divino regendo tudo isso.

Logo, como não se perguntar o que estamos fazendo por aqui? Muitos outros homens já se fizeram e ainda irão fazer essa pergunta, mas esse fato não anula a importância de que cada um de nós a coloque para si. Não nos impede de refletir enquanto indivíduos únicos que somos. Perguntar-se sobre a existência parece ser algo que está no “DNA” de nossas almas. Essa busca por sentido, por algo maior, que dê significado profundo a nossas vidas.

Penso que a busca por uma vida com ideais elevados (o bom, o belo, o justo e o verdadeiro) deveria ser nosso maior propósito por aqui. Eles valem para qualquer forma de vida de inteligente, seja nesse universo ou nos mundos paralelos que alguns cientistas cogitam existir. Não importa se você é um “marciano” ou uma “entidade” que vive em outro plano espiritual ou universo, esses ideais seguem valendo.

Me pergunto também por que não nos ensinam isso na escola? Por que não nos falam sobre o fato de sermos esse “milagre irrelevante” na imensidão do universo? Quanto derramamento de sangue e todo tipo de conflito poderiam ter sido evitados?

Já ouvi que honramos nossos pais quando melhoramos eles em nós. Quando damos um passo adiante no sentido evolutivo. Quando nos tornamos seres humanos melhores que eles. Mas parece que não temos feito isso em relação a eles, nem a nossos antepassados. Pelo contrário, às vezes, sinto como se estivéssemos andando para trás, nos barbarizando em alguns casos. Deixando os instintos falarem mais alto que nossa consciência elevada.

Só nos resta tentar melhorar e passar a mensagem para as próximas gerações. Se cada um de nós não trabalhar sua própria mudança, sua própria revolução de dentro para fora, ninguém fará isso por nós. Parafraseando Carl Sagan, é difícil acreditar que um ser de outro planeta venha nos salvar de nós mesmos.

Veja no player abaixo uma edição de “Pálido Ponto Azul” narrada pelo próprio Carl Sagan.

Sobre o autor: Rafael Miramoto, 30 anos. Alguém que gosta de estudar, refletir e compartilhar. Tem dois contos – “Um Grilo pelo Azulão” e “Misericórdia” – publicados na plataforma Kindle, da Amazon.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s